tradicao milenar

UMA TRADIÇÃO MILENAR Há mais de 2.600 anos, na Índia, Shakyamuni realizou sua natureza búdica, após uma longa busca pela libertação praticando a meditação sentada - o zazen.

A fonte do Zen se vincula a essa experiência do Buda, transmitida de mestre a discípulo através dos séculos. O ensinamento de Buda – o Dharma – passou da Índia para a China, recebendo um novo impulso na século VI da nossa era, transmitido por Bodhidharma, monge hindu que praticou o zazen no Templo Shaolin e deu origem à linhagem dos patriarcas Zen na China. No século XIII, o monge japonês Dogen volta da China e implanta no Japão o estilo Soto de prática Zen, fundando o templo de Eihei-ji, até hoje um dos mosteiros centrais do Soto Zen. Essa tradição, fundida em alguns casos com ensinamentos da escola Rinzai, se transmite ao Ocidente em meados do século XX, através de mestres como Taisen Deshimaru, Shunryu Suzuki, Eido Shimano e Ryotan Tokuda.

Considerado às vezes como uma religião ou uma filosofia, o Zen, ainda mal compreendido pelos ocidentais, é sobretudo uma prática, uma arte de viver que permite estar no aqui e no agora, harmonizando naturalmente os aspectos espirituais e materiais de nossas vidas. O coração dessa prática é o zazen, a mesma meditação praticada pelo Senhor Buda. Sentados na postura correta, concentrado em uma respiração calma e profunda, nós nos manifestamos no momento presente e realizamos nossa verdadeira natureza. Segundo o Mestre Taisen Deshimaru, o zazen não visa buscar um estado especial de consciência, mas permite, ao contrário, reencontrar as condições normais, originais do corpo e do espírito; a natureza búdica.

Conforme Mestre Dogen: Tudo que é, sem nada faltar, é a natureza búdica.